cela me rassure d'avoir la confirmation qu'il est des choses qui demeurent intactes * philippe besson

one of the secrets of a happy life is continuous small treats * iris murdoch

it's a relief sometimes to be able to talk without having to explain oneself, isn't it? * isobel crawley * downtown abbey

carpe diem. seize the day, boys. make your lives extraordinary * dead poets society

a luz que toca lisboa é uma luz que faz acender qualquer coisa dentro de nos * mia couto





19.5.13

pelo museu de arte antiga



ontem foi o dia internacional dos museus. soubemos por acaso, porque eu queria ir à gulbenkian ver a exposiçao sobre a clarice lispector e descobri quando andava à procura de informaçoes. entao mudei de ideias e pensei que me apetecia ir ao museu nacional de arte antiga que nao conhecia. é verdade. vevemos tantos anos numa cidade a pensar que as coisas estao sempre ali e que podemos vê-las quando quisermos e o tempo vai passando e acabamos por nao conhecer tanto da nossa propria cidade.
quando chegamos ao museu estava a decorrer a inauguraçao de uma exposiçao com pompa e circunstência e tivemos que esperar que acabasse para podermos iniciar a visita.
começamos pelo ultimo andar, com pintura e escultura portuguesas, descemos ao segundo piso com a  ourivesaria, joalharia, vidros, cerâmica e artes orientais. nao gosto da porcelana da china e adoro a faiança islâmica. no primeiro andar estavam a pintura e artes decorativas europeias e o mobiliario português. é engraçado que mesmo sem conhecer bem a pintura europeia, quando entramos nas salas conseguimos distinguir as diferentes escolas. 

no andar inferior estao as exposiçoes temporarias e ha um jardim maravilhoso com uma cafetaria. ontem a maior parte dos museus estava aberta à noite, quando saimos de la eram 21h30. lisboa anoitecia. que noite bonita.

4 comentários:

Nuno Guronsan disse...

Que saudades desse museu e da fantástica esplanada em tempo veranil...

Diverte-te! Beijos!

IsaMaria disse...

e eu não aproveite....para o ano há mais.

Carla R. disse...

De cada vez que vou ao MNAA vou directa às tentações de Bosch. Depois dou uma volta pela pintura, que vou apreciando pela historia, mas sem mais... Mas o Bosch, ah, o Bosch !! :)

Marta G. disse...

Oh! Também estive lá por essa hora a mostrar (como faço sempre) os biombos nambam ao Manuel. Que pena não nos termos encontrado!
bjs