cela me rassure d'avoir la confirmation qu'il est des choses qui demeurent intactes * philippe besson

one of the secrets of a happy life is continuous small treats * iris murdoch

it's a relief sometimes to be able to talk without having to explain oneself, isn't it? * isobel crawley * downtown abbey

carpe diem. seize the day, boys. make your lives extraordinary * dead poets society

a luz que toca lisboa é uma luz que faz acender qualquer coisa dentro de nos * mia couto





16.1.08

... uma vez por ano, dá-me para isto! hoje, mais uma vez resolvi ir espreitar os arquivos do azul turquesa... isto porque`ao jantar estavamos a falar daquelas flores que têm um cheiro muito intenso, na primavera... não me lembrava do nome delas, mas lembrava-me de ter escrito sobre elas por ter tido uma sensação parecida na primavera do ano passado... post puxa post foi espreitando o que tinha escrito no mês de junho e foi aí que me apercebi dos erros gramaticais que vou fazendo... e foi também assim que encontrei esta nova conjugação do verbo desinteressar: "desinteressar-mos"... o melhor é voltar a ler em português senão qualquer dia sou bem capaz de escrever "desinteressa-dos"... e quem sabe, mais tarde, também, "vou deitar fora a poubella" ou "vou pôr a banhola na garagem"... enfim...

5 comentários:

Cláudio disse...

É por essas e por outras que eu não me atrevo a revisitar os meus arquivos... Sabe-se lá que calamidades poderia encontrar :)

* disse...

eu vou gostar muito de ler essas últimas frases por aqui. :)

* disse...

aminha familia esteve muito tempo na alemanha, e sempre falou assim de forma meio anfíbia. tenho o maior carinho por isso.

J. disse...

obrigada claudio, mas não acredito em ti ;)

a., também tenho muitas pessoas que falam assim no meu coração...

... às vezes parece que há palavras que fazem mais sentido numa lingua do que noutra e por vezes dá mesmo vontade de misturar... mas a escolher prefiro cada língua no seu lugar :)

Cláudio disse...

A minha família também viveu muitos anos no Luxemburgo. Ainda hoje dizemos bonjour, bonne nuit e coisas assim... A minha mãe, por exemplo, ainda continua a dizer feux rouges em vez de semáforo, ou champignons em vez de cogumelos, e de facto parece que até soa melhor assim. Isto entre nós é uma espécie de tutti-frutti quase diário :)