cela me rassure d'avoir la confirmation qu'il est des choses qui demeurent intactes * philippe besson

one of the secrets of a happy life is continuous small treats * iris murdoch

it's a relief sometimes to be able to talk without having to explain oneself, isn't it? * isobel crawley * downtown abbey

carpe diem. seize the day, boys. make your lives extraordinary * dead poets society

a luz que toca lisboa é uma luz que faz acender qualquer coisa dentro de nos * mia couto





21.12.05

eu já queria ter feito isto há mais tempo…

mas foi hoje, ao ir aos correios, como faço quase todos os dias que me decidi.


uma vez que ainda não temos “boite aux lettres” sou obrigada a ir aos correios todos os dias e faço sempre a mesma pergunta: “est-ce qu’il y a du courrier pour nous?” (porque ela já sabe quem é o "nous") e quase todos os dias, excepto às quartas-feiras, quando recebo o público de sábado que a minha mãe me envia, ela me diz “non, je n’ai pas de courrier pour vous”… até tenho a sensação que a aborreço…

hoje foi diferente. assim que abri a porta ela levantou-se logo e disse “aujourd’hui il y a plein de courrier pour vous”…

e foi assim que saí de lá com dois grandes envelopes numa mão e dois envelopes médios na outra.

quando cheguei a casa vi que eram envelopes de 4 pessoas diferentes e que todos eles traziam prendas de natal… tive vontade de chorar… como dizia a p. a distância não impede a emoção e eu acrescentaria que essa distância talvez a faça aumentar. não é que estivesse à espera que as pessoas se esquecessem de mim, é, sim, o facto de elas mostrarem que se lembram de mim e que, mesmo longe, mantemos os mesmos hábitos, como se afinal esta distância não fizesse diferença nenhuma e como se fosse apenas uma consequência de termos pouco tempo para nos encontrarmos.

como não posso retribuir da mesma forma, faço agora o que queria ter feito há mais tempo: dedico este blog aos meus amigos e à minha família (pode parecer lamechas,mas é assim)... este será um blog para eles e, por vezes, sobre eles…

9 comentários:

Anónimo disse...

quero escrever uma coisa que não sei ao certo o que é e a unica frase que tenho na cabeça é "quando escreveres o teu primeiro romance...". não sei porque mas é uma sensação maravilhosa quando penso nesta frase.amo muita a mana e tenho muitas saudades e nunca mais é dia 20 e pronto

J. disse...

afinal a "lamechice" é de família.

j. fico muito contente (e corada) com o teu comentário, mas acho que isso nunca vai acontecer...

Anónimo disse...

Escreve, escreve, escreve, escreve.
Acho que tudo na vida dá, desde que nós nos dispusermos a isso.
DG

Anónimo disse...

não lia um "post" destes há muito tempo. bonito e sincero. gostava que uma dessas quatro embalagens fosse minha. mas não é: "mantemos os mesmos hábitos, como se afinal esta distância não fizesse diferença nenhuma...".
1Beijo J.

Anónimo disse...

LIVRO, LIVRO, LIVRO, LIVRO
ROMANCE, ROMANCE, ROMANCE

Anónimo disse...

ACHO QUE ERAS CAPAZA DE ESCREVER MAS ACHO QUE NUNCA LEVARIAS PARA PUBLICAR. IAS TAR SEMPRE " ACHAS FIXE, NÃO ASÉRIO ACHAS QUE TÁ FIXE, NÃO ACHAS QUE ESTÁ MUITO ISTO OU MUITO AQUILO, ASÉRIO. OH NÃO NÃO NÃO É ISSO MAS NÃO SEI, ACHO QUE NÃO ACHO QUE NÃO" TOLA JÁ NÃO SOU A PRIMEIRA PESSOA A DIZER PARA ESCREVERES E ACIMA DE TUDO ACHO QUE A TUA VERDADEIRA VOCAÇÃO É ESSA E SE PENSARES BEM TODOS OS TEUS GOSTOS E INTERESSES ANDAM NA MAIOR PARTE EM VOLTA DE LIVROS E LETRAS.ESCREVE UM LIVRO SENÃO FAZ UM LISTA

Anónimo disse...

LIVRO, LIVRO, LIVRO, LIVRO
ROMANCE, ROMANCE, ROMANCE

J. disse...

1 beijo j...

és tu r.?

Pat disse...

APOIADO
100 VEZES APOIADO!