cela me rassure d'avoir la confirmation qu'il est des choses qui demeurent intactes * philippe besson

one of the secrets of a happy life is continuous small treats * iris murdoch

it's a relief sometimes to be able to talk without having to explain oneself, isn't it? * isobel crawley * downtown abbey

carpe diem. seize the day, boys. make your lives extraordinary * dead poets society

a luz que toca lisboa é uma luz que faz acender qualquer coisa dentro de nos * mia couto





16.3.13

o melhor de ser bibliotecaria

para mim, o melhor do meu trabalho é quando tenho feedback dos leitores. mesmo que a entidade empregadora seja a câmara, na verdade, é para os leitores que trabalhamos.  uma biblioteca so tem razao de existir se eles estiverem contentes e é tao bom quando eles nos dizem que estao.
foi o que aconteceu hoje. chegou uma leitora que costuma vir com as filhas e as filhas costumam também vir com a escola. ela perguntou-me se era eu a senhorita j. eu respondi que sim. entao, ela disse-me que a filha mais nova tinha chegado a casa, ontem, maravilhada a dizer "mama, gosto tanto quando senhorita j. conta historias", e a mae acrescenta "ela lembra-se bem do seu nome. ja me tinha falado das idas à mediateca com a escola e das historias antes, mas esta parece que a marcou mesmo". é que esta quinta-feira, senhorita j. contou usou um kamishibai (pequeno teatro japonês). como a biblioteca teve a ocasiao de receber de emprestimo duas historias diferentes, senhorita j. contou as duas, uma quando eles chegaram e outra antes de se irem embora. é tao bonito ver os olhos deles brilharem e é tao bom saber que a historia vai além da biblioteca, que quando chegam a casa às vezes ainda estao a pensar nela. senhorita j. fica com o coraçao cheio e os olhos brilhantes também, por ficar a saber que 10 minutos de contos valem muito mais tempo do que isso.

... e depois também acontece isto com os adultos, quando eles vêm dizer que gostaram tanto deste e daquele livro que aconselhamos e se nao lhes podemos sugerir outros. ou leitores que sabem, a pouco e pouco, que senhorita j. vai deixar a mediateca ficam com pena e chegam a enviar mails de "amizade de leitor". é bom dizer às pessoas que se gosta delas. e é bom ouvir também.

5 comentários:

Vane M. disse...

Uma profissão diferente e interessante, principalmente porque você consegue vê-la dessa forma.
As pessoas não tem o hábito de elogiar, e isso faz tão bem...um abraço!

R. del Piño disse...

Na verdade, penso que na nossa vida todos buscamos o reconhecimento de terceiros. E tu pelos vistos estás numa profissão viável para os obteres. Vais deixar?

Zia disse...

Essas são realmente as coisas mais importantes. Mas mesmo dentro do nosso grupo profissional é raro ver as pessoas darem valor a esses pequenos momentos, a maioria prefere nem sequer fazer atendimento...e isso só de me deixa triste.
O nosso trabalho só é justificado enquanto existirem crianças e adultos que encontrem respostas e alguma magia nas bibliotecas.

Andreia disse...

Que bom! Ainda ontem escrevi sobre as nossas idas à biblioteca :) http://www.tricotaria.com/2013/03/celebrating-spring.html

ohlalali disse...

Trabalho numa biblioteca especializada e por vezes a vontade de estar na Sala de Referencia e' nula por causa do tipo de cliente sei mais do que tu, pensas que! que muitas vezes ve as bibliotecas como casas onde se depositam livros. E' uma pena que assim seja. Mudando mentalidade passinho a passinho.

Creio que trabalhar com criancas e promover habitos de leitura deve ser interessantissimo.