cela me rassure d'avoir la confirmation qu'il est des choses qui demeurent intactes * philippe besson

one of the secrets of a happy life is continuous small treats * iris murdoch

it's a relief sometimes to be able to talk without having to explain oneself, isn't it? * isobel crawley * downtown abbey

carpe diem. seize the day, boys. make your lives extraordinary * dead poets society

a luz que toca lisboa é uma luz que faz acender qualquer coisa dentro de nos * mia couto





18.11.08

... esta fotografia é para a ritar que com este post a anunciar a reabertura do califa me fez lembrar os deliciosos bolos e os magnificos tempos do grupo das escadas…



… era o fim do 9° ano, íamos para o liceu e sentíamo-nos cada vez mais crescidos. muitos de nos fomos para a mesma escola outros para escolas diferentes mas tínhamos sempre um ponto de encontro: as escadas do CIVEC. era lá que nos encontravamos todos os dias e que punhamos a conversa em dia. era lá que fazíamos projectos para as férias, para as saídas nocturnas, era lá que passávamos os domingos ociosos antes de irmos comer caracóis ao 409 ou lanchar ao califa… mas o califa era mais de inverno, porque as escadas eram no exterior e estavam molhadas e a temperatura não ajudava. chegar ao califa à hora do lanche nos domingo de inverno é como estar em cima da ponte 25 de abril a um sábado de julho às 11h da manhã, ou como estar na rua da prata ou do ouro em qualquer dia da semana, numa tarde de chuva… enfim… aqueles bolos e salgados mereciam a espera e nos esperávamos pacientemente que alguém decidisse levantar-se da mesa para disfrutarmos daquele momento "gastronomico". às vezes desistíamos das mesas e se éramos apenas 4 nesse dia sentávamos nos bancos à volta do balcão e escolhíamos uma esquina para podermos ver-nos e conversar melhor. eu lembro-me sobretudo das tartes de morangos com chatilly, mas há quem se lembre de outras coisas… os empregados não primavam pela simpatia, havia mesmo um senhor que dizia asneiras depois de receber o pedido e ficou conhecido pelo “foda-se”… lembro-me de um senhor gordinho e simpático que enquanto esperava que escolhessemos em frente à “montra” não parava de fazer barulho com a pinça do bolos. estas idas frequentes ao califa duraram anos, até entrarmos todos para a universidade e começarmos a ter vidas diferentes... e foi assim que hoje, com esta recordação, fiquei ainda mais quentinha… e é inverno… e esta a nevar… e eu sonho com uma tarte de morangos com chantilly do califa que põe a pastelaria francesa num chinelo (…pelo menos hoje…)
ps: e não é que parece que apanhei o pasteleiro no primeiro andar?

5 comentários:

Alexa disse...

É bem verdade, o Califa reabriu novinho em folha e de cara lavada para a ASAE.
Adorei este teu post, J., que me fez voltar à adolescência.
Então e que tal postá-lo no "Mercado" certo? ;)
Bj gd

J. disse...

;)

sim vou po-lo no mercado mas faltava-me uma fotografia...

a proxima vez que for a lisboa o califa não me escapa :)

bjs

ritaR disse...

grande sorriso :-)
vou agorinha para lá,cheia de saudades dos
croquetes :-)

magarça disse...

A proposito desta memória lembrei-me de te deixar aqui este link para o arquivo fotografico de Lisboa. Basta pequisar pelo nome da rua e surgem várias fotografias do local. Foi muito engraçado ver como era a minha a rua :)

http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/default.asp?s=12079

J. disse...

sim, ja conhecia, deixei aqui algumas fotografias antigas e no mercado de bem-fica ha outras tantas! ;) ha diferenças surpreendentes! ;)